Futuro do Coaching em debate na Conferência Anual de Coaching ICF 2018

 

A Escola de Coaching Executivo da CEGOC juntou-se, uma vez mais, à International Coaching Federation (ICF) para apoiar a edição 2018 da sua Conferência Anual de Coaching.

 

Subordinado ao tema “Preparar o Futuro”, o evento decorreu no passado dia 24 de outubro, na Fundação Portuguesa das Comunicações, em Lisboa. A conferência debateu os principais desafios enfrentados pela área de Coaching neste contexto de constante transformação, onde a necessidade da reinvenção exige às organizações ferramentas capazes de inspirar o desenvolvimento profissional e pessoal dos seus líderes e equipas através do Coaching.

 

Entre os oradores convidados esteve Paulo Martins, Professional Certified Coach (PCC) e Coordenador da Escola de Coaching Executivo da CEGOC, cujo contributo foi essencial para compreendermos o futuro do Coaching, numa era pautada por inúmeras tendências e mudanças sentidas nomeadamente pelo próprios coaches, entre as quais “o estabelecimento de networking com cada vez mais diferentes sensibilidades interculturais, a crescente necessidade do domínio tecnológico de plataformas e a vulnerabilização causada pelo trabalho à distância, que implica trabalhar com diferentes países e a diferentes horas do dia”. Para Paulo Martins, estas transformações verificadas a nível global não irão alterar o conteúdo dos cursos nem os elevados padrões de Coaching Profissional estabelecidos pela ICF. No entanto, podem impactar a forma como os coaches passam e transformam a experiência formativa através das 11 competências do Coaching.

 

No final da Conferência Anual Internacional da ICF, o Coordenador da Escola de Coaching Executivo da CEGOC mostrou-se confiante, não só pelas mensagens que partilhou com a audiência, mas sobretudo pelas que recebeu durante o encontro: “estas mensagens foram muito importantes para saber como me posso inspirar enquanto Coordenador Pedagógico e o que posso fazer para que a experiência formativa seja mais transformacional e dê mais capacidade profissional aos nossos alunos”.

 

A propósito dos percursos formativos disponibilizados pela Escola de Coaching Executivo da CEGOC, recordamos que Robert Dilts – um dos mais conceituados especialistas em Programação Neurolinguística de todo o mundo – vem a Portugal em 2019, pela primeira vez, para ministrar o Curso de Coaching Generativo. Assente na premissa de que a nossa realidade é construída e que esse processo criativo pode ser moldado, conscientemente, de forma a obtermos resultados mais positivos, esta formação eminentemente prática pretende proporcionar a cada indivíduo a ajuda e as ferramentas necessárias para que possa aprender, crescer, evoluir e captar o seu pleno potencial, muitas vezes escondido ou bloqueado por crenças e barreiras pessoais limitadoras.

 

Saiba mais sobre este programa certificante em Coaching Generativo que combina as ferramentas da Modelagem de Fatores de Sucesso de Robert Dilts com o conceito de Poder Generativo do reconhecido autor e psicoterapeuta, Stephen Gilligan.

Aos olhos da Fruut nenhuma fruta é “feia”

17 Jul

O blog de Marketing e Vendas

Aos olhos da Fruut nenhuma fruta é “feia”

Sabia que, segundo a FAO, o atual desperdício alimentar nos países industrializados ascende a 1,3 mil milhões de toneladas por ano? Números alarmantes que a Fruut tenta contrariar todos os dias, produzindo os seus snacks (de maçã, ananás, pera, coco ...

O líder coach e as equipas de alto desempenho

16 Jul

O blog de Coaching

O líder coach e as equipas de alto desempenho

Na era da aceleração, pautada pelos avanços tecnológicos, a globalização e a complexidade das relações interpessoais, as organizações enfrentam inúmeros desafios, não só ao nível da concorrência, mas sobretudo ao nível dos clientes – cada vez mais ex...

10 razões que comprovam a relevância da velocidade da confiança nos dias de hoje

15 Jul

O blog de Liderança e Management

10 razões que comprovam a relevância da velocidade da confiança nos dias de hoje

O livro “The Speed of Trust” foi publicado pela primeira vez em 2006, com uma afirmação muito ousada no subtítulo – “The One Thing That Changes Everything”. No entanto, o seu autor Stephen M. R. Covey sabia que esta ousadia era verdadeira...