Setor Indústria Farmacêutica

  

O que se entende por Indústria Farmacêutica?

Como refere a APIFARMA – Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica no seu site oficial, “a missão da Indústria Farmacêutica é fomentar a inovação e o desenvolvimento de terapêuticas que respondam às necessidades de tratamento e prevenção de novas patologias, bem como disponibilizar medicamentos que constituam uma melhoria para a saúde e qualidade de vida das populações”.

Desde as últimas décadas, esta missão tem vindo a ser reforçada e a Indústria Farmacêutica tem vindo a ganhar notoriedade acrescida. Dos novos fármacos que trouxeram uma maior esperança média de vida, aos cuidados de saúde preventivos, curativos e de acompanhamento, passando pela produção de vacinas, o reforço da investigação científica e a descoberta de novos medicamentos para doenças até então incuráveis, a Indústria Farmacêutica têm alargado os seus negócios, criado novas oportunidades profissionais e definido novas metas ambiciosas para o setor.

Quais os principais desafios deste setor?

O aparecimento crescente de novas patologias, o aumento da procura de novos medicamentos e vacinas, o combate à automedicação, a gestão da venda de medicamentos genéricos, as fragilidades financeiras do Sistema Nacional de Saúde (SNS), a globalização, os galopantes avanços tecnológicos e a digitalização dos mercados são alguns dos muitos desafios enfrentados pela Indústria Farmacêutica. Também a desinformação e a chamada “infodemia” – a disseminação rápida e abrangente de informações precisas que se misturam muitas vezes com mitos ou fake news, têm obrigado o setor a encontrar novas formas de comunicar e esclarecer os cidadãos, a fim de conquistar a sua confiança.

A sustentabilidade é outro dos desafios da Indústria Farmacêutica, que para além de proteger a saúde das pessoas, se vê agora igualmente responsável pela preservação da saúde do planeta. Nesta matéria, o destaque vai para o desenvolvimento e reforço das estratégias de Ambiente, Saúde e Segurança que garantam uma melhor gestão de risco de água, energia, resíduos e emissões atmosféricas.

Quais as principais tendências da Indústria Farmacêutica?

As transformações sociais, económicas e de bem-estar observadas nos últimos anos obrigaram a Indústria Farmacêutica a integrar a agilidade, a eficiência e a democratização no seu modus operandi.E embora muita da atenção mundial esteja atualmente voltada para o desenvolvimento de vacinas, o setor prevê outras tendências ao nível do investimento em Investigação & Desenvolvimento, comênfase para a criação de patentes e proteção da propriedade industrial e intelectual, assim como a crescente cooperação entre farmacêuticas, universidades e empresas de base tecnológica.

Outras tendências passam pela otimização dos sistemas de informação, de forma a facilitar o registo, acesso, integração e monitorização de diferentes fontes de dados (tecnologia blockchain); a aplicação de novas tecnologias ao serviço da robotização e automação de tarefas, rastreabilidade dos medicamentos dispensados, atendimento à distância (e-Health), entregas ao domicílio ou incorporação de Inteligência Artificial em dispositivos e ferramentas de diagnóstico; e ainda a gestão da comunicação que permita a esta indústria explicar-se com rigor, autoridade e transparência perante os seus interlocutores.

Com a expansão do setor farmacêutico, novos perfis profissionais têm estado atualmente em projeção (data scientist, gestor de projetos,investigador farmacêutico, engenheiro de processos, gestor de conteúdos de saúde para Assistentes Virtuais, assim como especialistas em assuntos regulamentares, Biotecnologia, Biossegurança, Bioinformática ou Bioética, entre outros). Paralelamente, tem acrescido a preocupação da aquisição e reforço de competências (soft skills) transversais e decisivas para a capacitação, performance e empregabilidade destes e outros profissionais da Indústria Farmacêutica em áreas como liderança, coaching de equipas, gestão de projetos, comunicação e marketing ou vendas e negociação.