Setor Automóvel

  

O que se entende por setor Automóvel?

O setor automóvel aporta ao nosso país um contributo expressivo não só ao nível económico, como ao nível de I&D – por ser marcadamente competitivo, possui infraestruturas tecnológicas de excelência com fortes ligações a centros de conhecimento em todo o mundo, dispõe de recursos humanos altamente especializados e aposta na inovação contínua e na evolução na cadeia de valor.

De acordo com os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) e a Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel (AFIA), até ao final de 2019, este setor representava cerca de 8% do PIB nacional, empregava mais de 90 mil pessoas e gerava um volume de negócios de 14 mil milhões de euros. Contudo, devido à crise pandémica, o consumo de veículos automóveis na Europa caiu perto de 70%, e esta desaceleração afetou toda a cadeia de produção de uma forma transversal e à escala mundial.

Quais os principais desafios deste setor?

O contexto pandémico determinou mudanças radicais no comportamento do comprador que obrigaram setores tradicionais a ajustarem os seus modelos de venda e a forma como estabelecem a relação com os seus clientes e mercados a quem dirigem a sua atividade.

Neste contexto, as marcas automóveis já estão a investir fortemente no digital, porque é aqui que se inicia a jornada de compra. Assim, os principais players já disponibilizam às suas redes ferramentas, plataformas digitais de captação e gestão de leads e recursos (website, marketing digital, serviço de live chat…), que permitem suportar estratégias multicanal no contacto e relacionamento com os seus clientes. Os consumidores usam os pontos de contacto digitais, nomeadamente o telemóvel, como uma poderosa ferramenta de research que os ajuda a tomar decisões, reservando cada vez mais o offline apenas para fins de negociação de preço ou realização de test drives, por exemplo.

Quais as principais tendências do setor Automóvel?

A pandemia veio trazer desafios acrescidos à indústria automóvel para se adaptar a um mercado em acelerada disrupção, trazida por novos players. Em primeiro lugar, o setor automóvel redireciona a sua estratégia para a captação de profissionais especializados e requalificação de talentos que permitam corresponder às necessidades da força de trabalho high-tech de um mercado ágil, competitivo e global.

Entre as tendências emergentes às quais as empresas deste setor não poderão escapar se quiserem dar continuidade ao seu negócio destacam-se também: a implementação tecnológica crescente ao nível de machine learning,robótica, Inteligência Artificial e IoT (Internet of Things); o aperfeiçoamento dos veículos conectados e autónomos (self-driving) até 2030 – altura em que se prevê que já circulem em estrada; a mudança do paradigma da combustão e a procura crescente por veículos híbridos, plug-in totalmente elétricos; a expansão das soluções de mobilidade partilhada, tais como partilha de automóveis, aluguer & leasing ou trânsito responsivo; e a adoção de um novo mindset por parte da Geração Z, que emergirá como decisora-chave em todo o mundo, alterando padrões e comportamentos dos consumidores.