Soluções de aprendizagem 100% digitais para desafios reais

Cátia SilvaHead of Open Courses Business at CEGOC

O ano de 2020 trouxe-nos desafios sem precedentes e face aos quais muitas (ou todas?!) organizações, famílias e pessoas não estavam preparadas… e 2021 continua a ser um ano fortemente marcado pela pandemia, que promete reforçar formas e processos de trabalho e aprendizagem “forçosamente” adquiridos nos últimos meses. 

 

Ao nível da aprendizagem assistimos a um forte crescimento do Digital Learning logo após o primeiro confinamento sendo este, acreditamos, um dos formatos que veio para ficar – não só fruto da necessidade que empresas e colaboradores experimentaram em teletrabalho, mas porque trouxe novos hábitos e flexibilidade que muitos não estão agora dispostos a abdicar. Também as empresas dedicadas ao desenvolvimento de competências que hoje persistem no mercado responderam a 2020 com o alargamento e a digitalização da sua oferta.

 

Todavia, e apesar de um crescimento sem precedentes, existe ainda um largo caminho a percorrer para de forma sustentável e contínua, melhorar os percursos 100% digitais. 

 

Recorrer a uma solução de Digital Learning não tem de ser “uma aventura solitária” de autoestudo e autoaprendizagem. Para serem cada vez mais eficazes os percursos de aprendizagem devem promover momentos de interação, não só com os especialistas na matéria, mas também com outros participantes, pelo que recorrer ao “tradicional módulo de e-Learning”, por muito interativo que seja, é uma prática que deve ser equacionada. Por oposição, soluções rápidas como Classes Virtuais de 2 horas, podem ser muito efetivas se estruturadas em torno de um objetivo pedagógico específico e desde que acompanhadas por um conjunto de exercícios de aplicação imediata face à realidade de cada participante, de forma a promover a transferência da aprendizagem para o local de trabalho.  

Melhorar os percursos de aprendizagem 100% digitais e manter a sua qualidade e propósito (provocar mudança de comportamento e melhoria nos resultados) implica ter em consideração as especificidades de cada participante e o facto de todos nós aprendermos de forma diferente, a um ritmo diferente e face a distintas necessidades. Com o Digital Learning isto não só é possível como se tornou mais fácil! Formações anteriormente “compactas” – de 2 dias em sala – podem agora ser facilmente divisíveis em percursos de aprendizagem 100% digitais de várias semanas, compostos por diferentes recursos e etapas, de forma a garantir o envolvimento de todos e a respeitar os diferentes ritmos e formas de aprender. 

Soluções que permitem a personalização do percurso de aprendizagem, contemplam ferramentas colaborativas acessíveis 24/7, ativos que visam a aquisição de conhecimento, vídeos, classes virtuais, módulos de treino intensivo, bots, etc., são aquelas que nos irão permitir continuar a inovar mantendo elevados padrões de qualidade, no presente e num futuro em que a aprendizagem digital continuará a crescer. 

 

Se há pouco mais de um ano muitas empresas não procuravam especificamente soluções 100% digitais, atualmente assistimos a uma situação inversa.

 

Todavia, muitas áreas de L&D ainda têm de se transformar em verdadeiros parceiros estratégicos no desenvolvimento dos planos de negócio das empresas que representam. Para isso, ao invés de procurarem “apenas” responder a um requisito legal, deverão encarar a formação como um investimento crucial para manter a competitividade de pessoas, equipas e organizações, realizando um cuidado diagnóstico às causas dos problemas e ineficiências quotidianas de forma a encontrarem soluções que, efetivamente, produzam os resultados esperados de forma sustentada. 

 

*Este artigo foi publicado originalmente no portal online CIO.pt.

Escrito por

Cátia Silva

Licenciatura em Psicologia Social e das Organizações pelo ISCTE. Mestrado em Direção Comercial e Marketing pelo “Instituto Universitario de Posgrado” em Espanha. MBA Executivo em Gestão de Recursos Humanos pela Escola de Gestão & Negócios – Universidade Autónoma de Lisboa. Professional Diploma in Marketing Digital, pelo Digital Marketing Institute.Practitioner em Programação Neuro Linguística pela “The Northern School of NLP & Associated Studies” no Reino Unido. Responsável pela Formação Inter Empresas CEGOC no seu todo e pela oferta específica na área de Vendas & Negociação Comercial tem, também, experiência na Gestão de Carteira de Clientes e na Gestão de Projetos de Intervenção/Formação. Responsável pela condução de ações de formação em diversas geografias (Europa, América Latina e África), através de distintas modalidades (formação presencial, 100% digital, blended e outdoor).
Saiba mais