4 pilares da resiliência

Alina OliveiraConsultora, Formadora e Coach

    As pessoas superam com sucesso as dificuldades da vida quando utilizam recursos próprios particularmente úteis em situação de crise, stress profundo ou trauma. A esses recursos internos chamamos “pilares da resiliência pessoal”.

    Habitualmente, utilizamos ±4, segundo nos parecem mais adequados para lidar positivamente com uma situação que percecionamos de forma stressante.

    Cada um de nós tem os seus fatores de stresse, que são próprios ao sistema individual de perceções, vivências e crenças. Podemos sentir stresse porque uma determinada situação nos provoca ansiedade ou apreensão; ou atribuímos-lhe sentimentos controversos; ou saímos da nossa zona de conforto...

    Os “pilares da resiliência pessoal” são como que uma força em que nos apoiamos para superar e resolver de forma produtiva a situação que se nos apresenta.

    Contactar com os nossos “pilares da resiliência” e consciencializá-los é um passo importante no domínio do fortalecimento da resiliência pessoal.

    Escolhemos os 4 pilares a seguir ilustrados, e começamos pelo da autoconfiança. Sem este pilar, acreditamos que os outros ficam enfraquecidos.

    4 pilares da resiliência

    1 - Como podemos fortalecer a autoconfiança?

    • Aprofundamos o conhecimento de nós próprios – os pontos fortes, os fracos e os que queremos melhorar.
    • Aprendemos a aceitar-nos como somos e a gostar de nós próprios.
    • Aceitamos desafiar-nos quotidianamente para nos superarmos – clarificamos o que queremos e traçamos o caminho para lá chegar.

    2 - Como podemos aumentar a proatividade?

    • Antecipamos, arriscamos e experimentamos novas formas de agir!
    • Decidimos e assumimos as consequências – positivas e negativas! Com as primeiras, celebramos; com as outras desafiamo-nos uma vez mais.

    3 - Como podemos fortalecer os relacionamentos interpessoais?

    • Abrindo-nos aos outros, construindo relacionamentos positivos, duradouros, baseados na confiança e no mútuo benefício.
    • Fundamental é desenvolver competências de escuta empática, saber ajudar e pedir ajuda, visando a complementaridade e o fortalecimento de recursos.

    4 - Como podemos adoptar a aprendizagem contínua?

    • Recetividade, flexibilidade e perseverança são as 3 chaves que propomos para levar à prática o aperfeiçoamento quotidiano.

    A teimosia, a arrogância e a desistência não fazem parte da resiliência! Mas sobre teimosia falarei no próximo texto...

    Escrito por

    Alina Oliveira

    Autora do livro “ Resiliência para Principiantes” – ed. Sílabo, 2010.Sou formadora e consultora nas áreas da gestão e liderança de equipas, resiliência, comunicação e gestão de conflitos, gestão do tempo, resolução de problemas, relações cliente/fornecedor.Um dos temas que mais me apaixona é a Resiliência, o que me levou a escrever um livro sobre essa temática: “Resiliência para Principiantes”.
    Saiba mais