Liderança: da construção de competências ao fazer acontecer

26/11/2021

O fenómeno da liderança deve ser entendido como uma competência que pode ser, não só aprendida, como desenvolvida ao longo do tempo e a todos os níveis de uma organização.

É desta premissa que parte o artigo de opinião assinado por Fátima Gonçalves, Head of Learning & Development Solutions, Digital Learning Coordinator na CEGOC e Consultora Certificada Franklin Covey, no jornal Vida Económica.

A autora refere que, com base nos estudos internacionais, observatórios e “whitepapers” desenvolvidos pela CEGOC e o Grupo CEGOS, tem ficado claro que o efetivo exercício da liderança tem por base um vasto leque de competências – autoconhecimento, capacidade de “ler” o ecossistema e as suas possibilidades, confiabilidade e confiança no potencial das equipas, bem como vontade de abraçar e potenciar a diversidade para incentivar a inovação, entre outras.

Inspirada pelo seu próprio percurso profissional, Fátima Gonçalves partilha as seguintes reflexões:

  • A liderança começa em nós e nós somos a ferramenta chave deste processo;
  • Para enfrentar o desafio da transformação das organizações, é fundamental que os líderes possuam um bom autoconhecimento;
  • A liderança aprende-se com os outros, através do princípio conhecido como “inteligência em rede”;
  • Os líderes podem ser “Multiplicadores intencionais” ou “Redutores acidentais”, como sugere Liz Wiseman no seu livro “Multipliers”;
  • A criatividade e a inovação são exigências para atuar num contexto em constante mudança;
  • As competências de liderança só serão efetivamente adquiridas se o processo de aprendizagem estiver ajustado ao contexto empresarial da 4ª Revolução Industrial.

Descubra como desenhar um modelo de desenvolvimento de competências de liderança sólido e apostado no futuro.

 

Fátima Gonçalves

Head of Learning & Development Solutions, Digital Learning Coordinator na CEGOC e Consultora Certificada Franklin Covey

Leia o artigo completo aqui